• Carpes

Os seus problemas você deve vencer

Atualizado: 21 de Jul de 2019



Hoje com 30 anos faço parte de uma geração de adultos que pode acompanhar, quando criança, ano após ano, o lançamento dos grandes filmes clássicos da Disney nos anos 1990. Quem não lembra de Aladdin, A Bela e Fera, Pequena Sereia, Pocahontas, O Corcunda de Notre Dame, Hércules ou O Rei Leão? Meus presentes favoritos foram as fitas VHS (meu Deus, quanto tempo!) dos filmes, que eu assistia incansavelmente. Aladdin, por exemplo, eu sei algumas falas de cor até hoje!


E se anteriormente os filmes da Disney me conquistavam apenas porque eram desenhos bonitinhos, coloridos e com músicas, atualmente eles me pegam pela nostalgia! Os adultos que estão ansiosos para assistir ao live-action de O Rei Leão, associam memórias boas, ligadas ao filme, acessando suas lembranças de infância. E é bom sentir isso!

O filme narra as aventuras de Simba, um filhote de leão que está ansioso para se tornar rei, mas a inesperada morte de seu pai e as armadilhas de Scar, seu tio, levam Simba a uma jornada heroica em busca do autoconhecimento. Por isso hoje, com outra perspectiva, acredito que o filme expõe algumas chaves e temas, dentro dos diálogos, que todo empreendedor pode extrair alguma reflexão. Saparei 4 pontos. Vamos lá:



1. Nem sempre fazemos tudo que queremos!

Simba: “Mas um rei não pode fazer tudo que quiser?”

Mufasa: “Há muito mais que um rei tem que fazer além de sua vontade… muito mais!”


Aqui, Mufasa (rei e pai de Simba) ensina ao jovem príncipe que para exercermos o que gostamos, temos que realizar determinadas funções que não apreciamos no dia a dia. É um equilíbrio. Nada é 100% bom ou ruim empreendendo. Mário Sergio Cortella em seu livro “Por que fazemos o que fazemos?” escreve que ama ser professor, mas não aprecia ter que corrigir centenas de provas todas sobre o mesmo tema. Ossos do ofício!



2. Seja corajoso. Mas quando for preciso ser. Tenha os pés no chão!

Zazu: “Fique sabendo que estamos todos nós em perigo...”

Simba: “Perigo?! Eu ando na selva braba. Eu rio na cara do perigo!”


Por ser imaturo e inexperiente, Simba acredita que explorar um local distante, sombrio e fora dos seus limites de segurança, seria sinônimo de bravura e coragem, colocando sua pele, e de seus amigos, em apuros.

Ter coragem ao empreender significa avaliar os riscos e executar um plano. Tomar decisões dentro do mercado baseadas em “achismos”, e sem um mínimo estudo, pode levar o empreendedor a um local soturno igual ao que Simba foi parar. Como Mufasa, mais uma vez, ensina o pequeno: “Ser valente não quer dizer se meter em apuros!”.



3. Ouça os conselhos. Mas sempre pense antes de agir

Timão: “Você precisa deixar o seu passado para trás. Coisas ruins acontecem e ninguém pode fazer nada para evitar. Quando o mundo vira as costas para você, você vira as costas para o mundo! Hakuna Matata!”


Não tem problema algum ouvir conselhos, mas depende de quem. Timão e Bumba nunca desejaram mal de Simba, mas com pouca experiência de vida, e sem estarem contextualizados sobre a realidade do pequeno leão (ser um príncipe e sofrido um golpe), acabam aconselhando-o de maneira equivocada.

Tome cuidado com as opiniões externas. Elas podem fazer você esquecer seu Norte e onde realmente deseja chegar. Simba passou anos na “Hakuna Matata” e esqueceu do seu reinado, e principalmente, esqueceu de quem ele era e do que queria ser.



4. Você pode aprender com seu passado

Simba: “Ei, que história é essa!”

Rafiki: “Não importa, ficou no passado.”

Simba: “É! Mas ainda dói.”

Rafiki: “O passado pode doer. Mas do jeito que eu vejo você pode fugir dele... ou aprender com ele!”


Não significa que ao ter uma experiência ruim em determinado produto, serviço ou processo, devemos abandonar e largar tudo de mão para vender coco na praia. O passado dói, mas nos mostra o que não repetir e em que não errar novamente. Grandes empresários erraram muito até construir o que almejavam. O próprio Walt Disney foi demitido de um jornal porque não era o melhor cartunista da redação, além de ter quebrado muitas vezes empreendendo e investindo em seu sonho: a Disney.



Além destes pontos, o filme traz mais diálogos profundos e muitas reflexões. Mufasa, o pai de Simba, nos ensina com poucas palavras e muita atitude. É um exemplo nato de líder: ouve os outros com atenção, sabe motivar e inspirar, e principalmente, está realmente interessado com o projeto por inteiro, sabe que o poder vem como consequência. Bem diferente da ganância de Scar, que admirava o poder apenas pelo poder.


E assim como a vida, empreender é um grande ciclo sem fim.



Byron Andrew

Sócio da Carpes


Carpes

Design e Gestão de Marcas

O melhor é possível

78 visualizações
Design e gestão de marcas

O melhor é possível

ola@carpesdesign.com | 51 3907 8400

  • Facebook Carpes
  • Instagram Carpes
  • LinkedIn Carpes
  • Behance Carpes